Ser (Tão)

Ser (Tão) é a reunião de fragmentos de danças populares negras nordestinas reorganizadas para possibilitar outras configurações aos movimentos originando, assim, novos dialetos corporais.

No processo de montagem da encenação tomamos como ponto de partida uma questão social: o racismo contra os nordestinos. O modelo de encenação se inicia na década de 60, com o nordestino chegando à São Paulo, e as cenas terminam evidenciando quais os reais motivos do deslocamento dos personagens. O dispositivo para montar o trabalho foi a dança, mas transitamos entre o teatro, a música e o canto, um jogo coletivo entre os personagens, dispositivos energéticos que se fundem, inspirados nos trabalhos de Mário Nascimento e Antônio Nóbrega, nas canções do Mestre Ambrósio, além de técnicas de Bertolt Brecht.

Os performers contam a história de uma vida nordestina – anônima – que sai do interior do estado da Bahia, impulsionado pelos problemas causados pela seca e pelas condições adversas do meio. Fugindo do sertão árido e da falta de trabalho, motivados pela vontade de alcançar uma vida menos sofrida, foram buscar nos centros urbanos do Brasil melhores condições, iludidos por imagens de uma vida urbana confortável e progressista.

 

SINOPSE

A dor de quem sai de onde nasceu para aprender a (Re)nascer onde tem que Viver!

Performatizar o habitual, restaurar comportamentos, esta é a concepção de Ser (Tão). Por meio do canto, da dança e do teatro se estruturou um espetáculo onde são narrados os contrapontos, oposições e contradições da vida do retirante nordestino dos anos 1960 que sai do interior do nordeste para tentar uma vida de maior oportunidade em São Paulo/SP.

 

Histórico

Estreia: 13/07/2015.

Duração: 40 minutos.

Prêmio: Edital Ocupação do Teatro Carlos Gomes, Instrução Normativa n° 002/2017 da Secult/ES. Edital de Seleção de Projeto de Atividade Artística e Cultural da Prefeitura Municipal de Vitória - PMV, ano 2017/2018. Contemplado no Aldeia Sesc Ilha do Mel 2016 e Projeto Cena Local 2016 do Centro Cultural Sesc Glória. Edital n° 019/2016 de Circulação de Artes Cênicas da Secult/ES. Edital n° 012/2015 de Seleção de Projetos Culturais Setoriais de Artes Cênicas no Estado do Espírito Santo. Edital I - 2015 da Lei Municipal de Incentivo Financeiro à Cultura João Bananeira, Circulação por Cariacica/ES.

 

 

Ficha Técnica

          

Organização: Coletivo Emaranhado.

Direção Geral: Maicom Souza.

Direção Artística: Léia Rodrigues.

Direção Musical e Trilha: Dori Sant’Ana.

Direção Coreográfica: Ricardo Reis.

Arte Gráfica e Figurinistas: Thais de Luca.

Iluminação: Léia Rodrigues.

Produção Executiva: Elaine Rodrigues e Karla Parmagnani.

Fotografia: Bru Negreiros e Marcelo Braga.

Elenco: Dori Sant’Ana, Elaine Vieira,

Maicom Souza e Ricardo Reis.

Apoio: Secretaria de Estado da Cultura do Espírito Santo,

Prefeitura Municipal de Vitória – PMV e

Reverence Studio de Dança.

Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
Ser (Tão)
1/2